História política de Guanambi

Crônicas de Guanambi – publicado no Jornal Popular

Dando seguimento à história política de Guanambi, escrita pelo meu avô Domingos Antônio Teixeira (Teixeirinha) publicados no livro RESPINGOS HISTÓRICOS, em 1991, p. 108, retrata no TERCEIRO CADERNO:

Em 1966, em Guanambi foi formado o registrado um só partido: a ARENA, resultante da coligação de Dr. José Humberto com Joaquim Fernandes. Na eleição de 15 de novembro de 1966, foi eleito o candidato único a Prefeito de Guanambi Jonas Rodrigues da Silva, que tomou posse em abril de 1967. Também na eleição de 15 de novembro de 1966 foi eleito Deputado estadual o professor Vilobaldo Neves de Freitas, que recebeu expressiva votação em Guanambi, Caetité e Candiba. (RESPINGOS HISTÓRICOS, 1991, p. 108)

Na construção deste acordo político, que gerou a união dos grupos de Dr. José Humberto Nunes, Joaquim Fernandes e Dr. Juca estabeleceram que Dr. José Humberto indicaria o candidato para Prefeito de Guanambi, e o grupo formado por Dr. Juca e Joaquim Fernandes, o candidato a Deputado Estadual que seria o genro de Dr. Juca, o Professor Vilobaldo. Parte do grupo de origem da liderança de Dr. Fernandes do qual fazia parte Dr. José Humberto não aceitaram este acordo, como Dr. Benjamin, os filhos do falecido Coronel Pedro Moraes, Almir e Dr. Sandoval, Otelino Ferreira, Senhor Othon do distrito de Morrinhos, a família dos Boa Sorte e outros. Como protesto, se recolheram politicamente, aguardando oportunidade futura para fazer frente a esse novo grupo político formado em Guanambi. Na eleição de 1970, continuava em Guanambi, só este novo grupo político e como candidato único foi eleito para Prefeito pela 3ª vez o médico Dr. José Humberto para um período de mandato de dois anos, conforme Legislação eleitoral vigente. Para Deputado Estadual novamente o Professor Vilobaldo foi eleito, e para deputado federal o grupo votou nos deputados Manoel Novaes e Odulfo Domingues e Prisco Viana. A votação deste grupo político foi dividida entre esses 3 deputados: Manoel Novais que já era o representante tradicional da nossa região na Câmara dos Deputados, Odulfo Domingues, a pedido do então governador Luis Viana Filho, o terceiro candidato foi o Secretário de Comunicação do Governo Luiz Humberto Prisco Viana, a pedido do Governador ao líder político local o Dr. José Humberto já próximo das eleições. Esse último pedido foi aceito em reconhecimento aos relevantes serviços e obras do governador do Estado da Bahia para este município. Como a inauguração do 1º Colégio estadual da região, em Guanambi. O Colégio Estadual Governador Luiz Viana Filho, a instalação da rede de energia elétrica em Guanambi, a estação de tratamento de água, pela então empresa SAAE, a construção do Fórum de Guanambi e a inauguração da agência do Banco do Estado da Bahia, nesse município. A votação para este candidato, Prisco Viana,  foi basicamente em Morrinhos, onde os líderes políticos o Vereador Lino Teixeira, Ilídio Monteiro, Osvaldo Pimentel, Generaldo, sua filha Leonor e seu genro Elvino e outros, atendendo a solicitação de seu Líder maior Dr. José Humberto Nunes, que votaram maciçamente no candidato indicado Prisco Viana, que obteve naquele distrito a votação, em torno de 500 votos.

Em 1972 só existia um grupo político em Guanambi, ligado a ARENA, naquela época o sistema era bipartidarismo a ARENA e o MDB. O grupo que não aceitou o acordo entre Dr, José Humberto e Dr. Juca, começava organizar uma frente partidária para enfrentar o grupo que dominava a política neste município desde 1954. Para liderar o novo grupo escolheram o agropecuarista e ex. Prefeito de Caetité José Neves Teixeira, mais conhecido como Senhor Binha, que tinha feito uma boa administração na prefeitura da cidade vizinha, de Caetité. O Sr Binha se destacou em toda a região e era uma pessoa com carisma e liderança nata, que exercia influência na classe emergente dos agropecuaristas que surgiram como grande força econômica em Guanambi e região. O Senhor Binha somava com os nomes de outras lideranças locais, como os filhos e neto do falecido Cel. Pedro Moraes, Almir Morais, Dr. Sondoval e Nilo Coelho, Dr. Vá Boa Sorte, Sr. Otelino, Jaques Baleeiro, Dr. Benjamim e outros. Estes políticos filiaram na ARENA, com a intenção de conseguir a sublegenda para disputar as eleições municipais. Como na época o sistema era o do bipartidarismo.  Os partidos se subdividiam. A ARENA, podia ter dois ou mais grupos, que eram chamados de ARENA 1, ARENA 2 e ARENA 3,  conforme legislação eleitoral vigente. O governador e líder da Bahia ACM, não autorizou à Executiva Estadual, conceder em Guanambi, a criação da Arena dois. Sendo assim, de novo as eleições de 1972, disputada por um único candidato o Sr. Jonas Rodrigues, pela segunda vez. Ao novo grupo político recém formado só restava fazer a campanha para o voto branco, para alcançar metade dos números de votantes o que anularia a eleição para prefeito, assim estabelecida na Lei eleitoral. Na eleição de 15 de novembro de 1972, o candidato único a prefeito de Guanambi o Sr. Jonas Rodrigues, obteve a maioria dos votos válidos, sendo eleito para o período de 1972 a 19 76.

Artigo escrito por José Bonifácio Teixeira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s